quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Por que não voto na Dilma?

 
1.  Não creio que corrupção possa ser banalizada. De Maluf a Antônio Carlos Magalhães, durante toda minha vida adulta acreditei que a denuncia da corrupção era parte importante da busca por um País mais justo. Sempre acreditei nas denúncias do PT contra a corrupção em anos anteriores como parte integrante de minha militância partidária pelo PT.

Há cinco anos, com o escândalo de corrupção escancarada de José Dirceu, Beluzzo e Pallocci, refleti que a corrupção no PT não era a mesma da de Maluf. Cheguei a criar o argumento de que "eles roubam para construir o que eles acreditam ser a utopia social - como numa guerrilha se mata para vencer." Ledo engano. Com a corrupção generalizada que se vê no Partido dos Trabalhadores, dos prefeitos ao filho do presidente da República, o que se vê é a busca de enriquecimento ilícito. Corrupção da sua forma mais escrachada.

Não voto em Dilma por que o PT criou uma máquina de corrupção sem precedentes na história deste País.

2. Creio na democracia. Não há ilusão com perfeição histórico-social. Há a constatação de que é a única estrutura política que viabiliza o contraditório, a disputa, que depura distorções. Neste sentido sempre acreditei na estrutura de decisão do Partido dos Trabalhadores em seus primórdios, onde cada decisão dependia da aprovação na Assembléia do Partido, do convencimento dos pares da relevância dos argumentos apresentados. Agora, a DILMA é uma escolha monocrática do sr. Luiz Inácio Lula da Silva. Onde foram parar as prévias? Não houve debate, houve imposição, houve conchavo, loteamento de candidaturas.

Não voto na Dilma por que ela não é uma candidata do PT, é uma candidata da elite palaciana do partido.

3. Discordo da Dilma em questões fundamentais. Em especial, discordo de sua posição em relação ao Aborto, em relação à necessidade de uma política para homossexuais. Creio que é uma traição do PT fechar questão em pontos que tanto católicos quanto evangélicos, que ajudaram a criar o partido, são tão sensíveis. Discordo de sua posição a favor do desenvolvimento a qualquer preço, sem nenhuma atenção à questão ambiental. Ela mostrou isto nos bastidores da Conferência sobre o Clima em Copenhague.

Talvez o único ponto em que concordamos seja em referência à política de Software Livre. Mas é apenas um ponto, se ela fosse candidata a Deputada vá lá. Mas a candidatura é à Presidência da República.

Não voto na Dima por que não compartilho de suas ideias.

4. Não voto na Dilma pela sua característica autoritária e centralizadora. Nunca trabalhei direto com ela, mas a sua exposição à mídia, sua expressão agressiva e as notícias de bastidores da Casa Civil foram construindo em mim certa aversão ao seu comportamento autoritário.

5. Não voto na Dilma por que acredito que os cambalachos eleitorais para incorporar o apoio de José Sarney, Renan Calheiros, Fernando Collor e a pior parte do PMDB só pode significar a manutenção de uma estrutura fisiológica que mantém o governo na mãos da corrupção sistêmica.

Não voto na Dilma por causa de seus aliados.

6. Não voto em Dilma por causa da política externa de defesa à opressão no Irã, na Venezuela, na Bolívia. Sobretudo como físico, creio que apoiar o Irã e seu programa nuclear é uma insensatez e uma irresponsabilidade. E o Ministro do Exterior já reivindica a permanência.

Em todos estes pontos, a MARINA é a antítese da DILMA. Voto Marina!

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Segundo turno?

Pode haver segundo turno.
Tudo depende da força da atual tendência de queda da Dilma.
Para efeito de exercício, fiz um ajuste pelo método dos mínimos quadrados nos valores de pesquisa do DataFoçha, nas pesquisas publicadas após o início do horário eleitoral.
O resultado mostra que a diferença entre os candidatos Serra e Marina somados e a Dilma já atingiu o fundo do poço, por volta de -10%. Sua extrapolação para esta última semana aponta para um empate técnico, 0%. Ou seja, há chances de que a candidata da situação não atinja os 50% e que a decisão se dê em segundo turno.

Torço para que isto aconteça. Quem sabe assim a gente veja a cara da Dilma sem retoques do MKT.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

O terceiro mandato de Lula e Aécio

Apesar de estarem em cores diferentes no espectro político, ambos têm muito em comum: Alta aprovação popular, gestão em momento de crescimento econômico, com obras e expansão econômica. Situação ideal para re-eleição! Mas ambos estão em seu segundo mandato.

Como a constituição proíbe a reeleição consecutiva, a estratégia utilizada por Lula e Aécio é a mesma: escolheram candidatos desconhecidos e inexperientes na política, empenharam o próprio cacife político na campanha e, até o momento, parece dar certo.

Esta é a fórmula encontrada por Lula e Aécio para um terceiro mandato. Pois ninguém duvida de que uma palavra de Lula para Dilma, ou um telefonema de Aécio para Anastasia, vá ter enorme influência no novo governo.

O problema é que, uma vez eleitos, os políticos têm vida própria. Pode se repetir o que aconteceu com Maluf e Pita. Não foi uma experiência exemplar e, a considerar pelos recentes escândalos do Ministério da Casa Civil, a corrupção pode grassar no governo Dilma. Esta analogia com a quadrilha de Maluf-Pita seria uma trajédia para o País.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Posição da Igreja nas eleições 2010

Na origem do Partido dos Trabalhadores, a Teologia da Libertação sempre foi a grande ponta de lança para quebrar o preconceito contra a esquerda.
Ao fechar questão em favor do aborto e dos projeto homosexuais no último congresso, o PT realiza a maior traição às pastorais da CNBB da história deste País.Eu me pergunto: onde estavam os ativistas homossexuais quando Frei Beto, Leonardo Boff, Dom Pedro Casaldáglia lutavam para trazer a discussão social para a Igreja?

Agora, a reação une Católicos e Protestantes. Veja o Vídeo com o posicionamento sereno e contundente do Pastor da Igreja Presbiteriana de Curitiba.

video


Youtube:  http://www.youtube.com/watch?v=ILwU5GhY9MI

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

O texto censurado de Jabor

A VERDADE ESTÁ NA CARA, MAS NÃO SE IMPÕE.
(ARNALDO JABOR)
 

O que foi que nos aconteceu?
No Brasil, estamos diante de acontecimentos inexplicáveis, ou
melhor,’explicáveis’ demais.
Toda a verdade já foi descoberta, todos os crimes provados, todas as
mentiras percebidas.
Tudo já aconteceu e nada acontece. Os culpados estão catalogados,
fichados, e nada rola.
A verdade está na cara, mas a verdade não se impõe. Isto é uma situação
inédita na História brasileira!!!!!!!
Claro que a mentira sempre foi a base do sistema político, infiltrada no
labirinto das oligarquias, mas nunca a verdade foi tão límpida à nossa
frente e, no entanto, tão inútil, impotente, desfigurada!!!!!!!!
Os fatos reais: com a eleição de Lula, uma quadrilha se enfiou no
governo e desviou bilhões de dinheiro público para tomar o Estado e ficar no
poder 20 anos!!!!
Os culpados são todos conhecidos, tudo está decifrado, os cheques
assinados, as contas no estrangeiro, os tapes, as provas irrefutáveis, mas o
governo psicopata de Lula nega e ignora tudo !!!!!
Questionado ou flagrado, o psicopata não se responsabiliza por suas
ações. Sempre se acha inocente ou vítima do mundo, do qual tem de se vingar.
O outro não existe para ele e não sente nem remorso nem vergonha do que faz
!!!!!
Mente compulsivamente, acreditando na própria mentira, para conseguir
poder. Este governo é psicopata!!! Seus membros riem da verdade, viram-lhe
as costas, passam-lhe a mão nas nádegas. A verdade se encolhe, humilhada,
num canto. E o pior é que o Lula, amparado em sua imagem de ‘povo’, consegue
transformar a Razão em vilã, as provas contra ele em acusações ‘falsas’, sua
condição de cúmplice e Comandante em ‘vítima’!!!!!
E a população ignorante engole tudo. Como é possível isso?
Simples: o Judiciário paralítico entoca todos os crimes na Fortaleza da
lentidão e da impunidade. Só daqui a dois anos serão julgados os indiciados
- nos comunica o STF.
Os delitos são esquecidos, empacotados, prescrevem. A Lei protege os
crimes e regulamenta a própria desmoralização Jornalistas e formadores de
opinião sentem-se inúteis, pois a indignação ficou supérflua. O que dizemos
não se escreve, o que escrevemos não se finca, tudo quebra diante do poder
da mentira desse governo.
Sei que este é um artigo óbvio, repetitivo, inútil, mas tem de ser
escrito…
Está havendo uma desmoralização do pensamento.
Deprimo-me:
Denunciar para quê, se indignar com quê? Fazer o quê?’
A existência dessa estirpe de mentirosos está dissolvendo a nossa
língua. Este neocinismo está a desmoralizar as palavras, os raciocínios. A
língua portuguesa, os textos nos jornais, nos blogs, na TV, rádio, tudo fica
ridículo diante da ditadura do lulo-petismo.
A cada cassado perdoado, a cada negação do óbvio, a cada testemunha,
muda, aumenta a sensação de que as idéias não correspondem mais Aos
fatos!!!!!
Pior: que os fatos não são nada – só valem as versões, as manipulações.
No último ano, tivemos um único momento de verdade, louca, operística,
grotesca, mas maravilhosa, quando o Roberto Jefferson abriu a cortina do
país e deixou-nos ver os intestinos de nossa política.
Depois surgiram dois grandes documentos históricos: o relatório da CPI
dos Correios e o parecer do procurador-geral da república. São verdades
cristalinas, com sol a Pino.
E, no entanto, chegam a ter um sabor quase de ‘gafe’.
Lulo-Petistas clamam: ‘Como é que a Procuradoria Geral, nomeada pelo
Lula, tem o desplante de ser tão clara! Como que o Osmar Serraglio pode ser
tão explícito, e como o Delcídio Amaral não mentiu em nome do PT ? Como
ousaram ser honestos?’
Sempre que a verdade eclode, reagem.
Quando um juiz condena rápido, é chamado de exibicionista’. Quando
apareceu aquela grana toda no Maranhão (lembram, filhinhos?), a família
Sarney reagiu ofendida com a falta de ‘finesse’ do governo de FH, que não
teve a delicadeza de avisar que a polícia estava chegando…
Mas agora é diferente.
As palavras estão sendo esvaziadas de sentido. Assim como o stalinismo
apagava fotos, reescrevia textos para contestar seus crimes, o governo do
Lula está criando uma língua nova, uma neo-língua empobrecedora da ciência
política, uma língua esquemática, dualista, maniqueísta, nos preparando para
o futuro político simplista que está se consolidando no horizonte.
Toda a complexidade rica do país será transformada em uma massa de
palavras de ordem , de preconceitos ideológicos movidos a dualismos e
oposições, como tendem a fazer o Populismo e o simplismo.
Lula será eleito por uma oposição mecânica entre ricos e pobres,
dividindo o país em ‘a favor’ do povo e ‘contra’, recauchutando significados
que não dão mais conta da circularidade do mundo atual. Teremos o ’sim’ e o
‘não’, teremos a depressão da razão de um lado e a psicopatia política de
outro, teremos a volta da oposição Mundo x Brasil, nacional x internacional
e um voluntarismo que legitima o governo de um Lula 2 e um Garotinho depois.
Alguns otimistas dizem: ‘Não… este maremoto de mentiras nos dará uma
fome de Verdades’!

Preço de nossa democracia

Quanto custa a nossa democracia?O que leva um indivíduo a empenhar, do próprio bolso, R$ 800.000,00 para ter acesso a um cargo que lhe dá R$ 12.800 por mês bruto?
Um desajustado em nossa sociedade capitalista?  Não, empresário de sucesso, que conhece a premissa do capitalismo: Venda por R$ 2 aquilo que te custou R$ 1. Nesta lógica, o mínimo que a corrupção deverá dar ao indivíduo é R$ 1.600.000.

Claro, há vários erros nestes números.
Primeiro R$ 800.000,00 é o que o candidato hipotético declarou ao TSE. Quanto lhe custou a campanha, nem ele mesmo sabe. O Edmar Batista Moreira, o candidato do castelo de R$ 50 milhões, afirma ter gasto apenas R$ 136.863,04 até agora. Será?

Segundo, a razão 2:1é fluida... Mandatos produtivos podem fornecer uma recompensa muito maior.

Talvez por isto o patrimônio médio dos deputados na Câmara Federal é de R$ 4 milhões. E teve um crescimento de 214% de 2008 a 2010!

Contemplo horrorizado a prostituição do sistema eleitoral de meu País. Estamos vendo os Porcos à mesa com os Humanos. Como na Revolução dos Bichos de George Orwell, nem dá para distinguir entre porcos e humanos. Orwell atual.

Dilma gastou acima de R$ 40 milhões. Haja corrupção para fazer desde jogo sujo algo lucrativo.  E ela nem vai a debates... Foge da verdade.

Para sua pesquisa pessoal: 

Site do TSE com prestação de contas do candidato:  AQUI
Dados do Transparência Brasil:  AQUI

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Uma mulher na fronteira quântica


Em maio deste ano, Michelle Simons, Diretora do Centro de Tecnologia para desenvolvimento do Computador Quântico, anunciou a criação de um transistor com apenas sete átomos. A equipe australiana conseguiu posicionar átomo por átomo em um dispositivo de apenas 7,7 ângstrons, uma medida que equivale a menos do que um bilionésimo de um metro!

Quando Shockley, Bardeen e Brattain inventaram o transistor em 1947, iniciou-se um processo de minituarização dos equipamentos eletrônicos, que viabilizou toda a era digital que vivemos. Mas o primeiro transistor era um monstro!

Hoje no museu da Lucent tem uma réplica.


Eles precisaram de 43000000000000000000000 átomos para fazer o que Michele agora fez com apenas 7!  Este é o limite e a fronteira da minituarização. Finalmente chegamos.
Os três ganhadores do Prêmio Nobel de 1956 pela invenção do transistor: Shockley, Bardeen e Brattain. Bardeen ganharia ainda o Prêmio Nobel de 1972 pela Teoria BCS que explica a Supercondutividade em Metais.


Para ler mais:  http://www.bbc.co.uk/news/10146704